Se alguém ainda duvidava que o Kouhaku podia surpreender, as dúvidas caíram hoje, dia 3 de novembro: o grupo Arashi e a atriz Nao Matsushita foram anunciados como os apresentadores oficiais da 61ª edição do Kouhaku Utagassen, que irá ao ar no dia 31 de dezembro. Eles terão o apoio de Terry Ito, Sekine Mari e Mizuki Nana.

A estreia dos seis como hosts também representa uma mudança no programa: vale lembrar que o SMAP Nakai Masahiro foi o apresentador oficial por muitos anos (representando tanto o time feminino vermelho como o branco masculino) e ano passado teve como parceira a atriz Yukie Nakama.



Completando 11 anos do lançamento single de debut, A.RA.SHI, exatamente hoje (03/11), o Arashi participa pela segunda vez da competição e também representa o primeiro grupo a ser host do programa. Já Nao Matsushita, atriz, cantora e apresentadora de TV, teve como um dos méritos de 2010 a alta audiência de seu asadorama Gegege no Nyoubu, que chegou a ter 18% de rating.



Comentário pessoal: ninguém nega que o Kouhaku vem enfrentando uma crise de audiência nos últimos anos, apesar de os números de share serem altíssimos se comparados a outros bangumi. A renovação dos hosts pode ser uma iniciativa saudável, já que atinge um público mais jovem. Como fã do Arashi, fico bem feliz que eles tenham conseguido, por mais que já tenham perdido a liderança do ranking anual da Oricon para as AKB48 (se bem que o anúncio pode dar uma alavancada nas vendas de Hatenai Sora, mas duvido que chegue nas AKB). Por último, a lista de artistas do programa só deve sair no fim do mês, mas fica aqui uma projeção do line up feito pela Oricon.

Akagumi

aiko
Angela Aki
Ikimonogakari
Uemura Kana
AKB48 (incluindo sub-units)
GIRL NEXT DOOR
Kara
Koda Kumi
Shoujo Shidai
Superfly
Nishino Kana
Perfume
Hamasaki Ayumi
Hitoto You
Mizuki Nana

Shirogumi

Arashi
EXILE
Kobukuro
Kondo Masahiko
Saito Kazuyoshi
SMAP
TOKIO
Tokunaga Hideaki
AAA
Hata Motohiro
FUNKY MONKEY BABYS
Fukuyama Masaharu
flumpool
Porno Graffiti
Yuzu

Fontes: Site do Kouhaku, tokyohive, allkpop e mainichi
Compartilhe: 
2


Sem trocadilhos, senso de humor é um negócio engraçado.

Tem gente que ri quando alguém cai no chão. Tem gente que ri de trocadilhos. Tem gente que ri quando algo engraçado acontece e todo mundo age como se nada tivesse acontecido. E tem gente que ri das coisas absurdas. Se você tende mais para os últimos tipos, acho que você vai curtir Unubore Deka.

O espírito para assistir esse dorama é meio esse: jogue pro alto a coerência e curta os personagens carismaticamente exagerados, as piadas metalinguísticas, os dramas homeopáticos e a trilha sonora viciante.

Unubore é o termo que os japoneses usam para denominar as pessoas que se acham mais do que são. É o caso do protagonista, interpretado por Nagase Tomoya. Ele é um detetive que trabalha em um braço distrital da policia de Tokyo, depois que foi rebaixado por causa de seu comportamento estranho.

Na verdade, quem o estragou foi sua ex-noiva, Rie (Mika Nakashima). Ela enchia muito a bola dele enquanto estavam juntos. Dizia que era ciumenta porque ele era três vezes mais atraente do que ele pensava. Mesmo assim, um dia ela fugiu, dizendo que estava cansada de toda a pressão.

Foi-se a amada, ficou a vaidade. E agora, o que ele mais quer é arranjar um novo amor. E quanto mais ele trabalha pra isso, mais ele se dá bem... no trabalho.

Isso porque toda semana ele encontra uma nova candidata. Só que ela sempre está envolvida com algum crime. PIOR. Ela sempre é uma das suspeitas. E PIOR AINDA. Ela geralmente é a culpada. Daí quando o dever lhe chama... Ele liga o esquema "dane-se o trabalho, eu quero é namorar", e sempre faz a proposta: casamento ou prisão!!! E elas sempre aceitam.... a cadeia \o/

Esse é mais ou menos o plot do dorama. Há ainda as histórias do parceiro do Unubore, Masaru Saeki (Yoshiyoshi Arakawa), uma recém-casado aspirante à central de polícia, e do Unubore 4, um grupo que se reúne em um bar perto da casa do protagonista para falar sobre suas "conquistas".

Sadame Honjo (Toma Ikuta), um ator sem teto.
Seishiro Matsuoka (Jun Kaname), um confeiteiro que a gente só vê fazendo um tipo de doce.
Anai Kiichi (Ken Yahagi), um fotografo que consegue que as meninas mais reservadas tirem fotos nuas.
Mokoto Kurihashi (Mitsugoro Bando), um psicólogo especialista na arte da CONQUISTA! huah

Ps.: menção honrosa para o bartender Goro (Yusuke Shoji), para a gerente do bar (Aiko Morishita) e para o pai do Unubore (Toshiyuki Nishida).


O simpático elenco tem uma química improvável que acaba fazendo as piadas funcionarem. E não vou me estender aqui porque o fator WTF é essencial para as piadas.

Outro ponto positivo é a dose de drama que surge com cada nova criminosa, suficiente para dar densidade para a trama, sem, no entanto te deixar culpado por rir das piadas.

E mesmo que o dorama role no esquema "vilã da semana", sempre há elementos aqui e acolá que dão liga entre todos os episódios.


Observações:

- A lista de atrizes convidadas é cheia de nomes famosos. Yuu Aoi, Erika Toda, Koyuki, Hiroko Yakushimaru. A lista completa pode ser conferia aqui.

- Tenho uma teoria para a seleção: moças de 20 a 40 anos, para que o público alvo se identifique e sonhe com um cara que jogue tudo para o alto pelo amor... ohhh.

- Unubore Deka foi citado duas vezes no Nikkan Sports Drama Grand Prix. Quinto lugar de melhor ator, para o Nagase Tomoya, e quinto lugar de melhor atriz coadjuvante, para Mika Nakashima.

- Mitsugoro Bando na verdade é ator de teatro Kabuki. A arte, curiosamente, é tratada em um dos capítulos.

- O dorama foi exibido às 22h das sextas-feiras, um dos slots mais nobres da TBS. Em seu lugar agora está o Keizoku 2: SPEC, com a Erika Toda toda bizarra e o Ryo Kase. Assistam. É interessante. Meio Fringe com pitadas de poderes paranormais.

- O roteiro de Unubore foi escrito por Kankuro Kudo, o mesmo de Kisarazu Cat's Eye e Ryuusei no Kizuna. Este último tem no elenco tanto a Erika Toda como a Mika Nakashima.

- Ryuusei no Kizuna aborda a antiga lei japonesa que prescrevia crimes de assassinato depois de 15 anos. O tema voltou a ser abordado em um dos capítulos de Unubore Deka, agora com a lei alterada e a prescrição abolida.

- Para assistir, sempre temos o d-addicts, o dramacrazy.net. Existem os fansubbers tomalicious e o ourhour (este último, uma peregrinação para ser aceito >.<).

Fontes: Tokyograph, Drama Wiki
Compartilhe: 
0

Terceirizando.... la la la


às 02:25
Cof Cof... caraca... quanto pó por aqui. WAHHHHHHHH! Malditos corvos. Bom, tô passando só pra ver se não tem nenhum homeless dormindo aqui (o que não é problema) e deixando embalagens de oniguiri espalhadas pelo chão (o que é imperdoável, principalmente porque só aumenta a minha vontade de comer triângulos com atum e maionese dentro =P).

Então, como estão vocês?

É, eu sei, o ritmo de postagens anda bem... precário...

Então, como a gente tá sem produto em estoque, o negócio é pelo menos indicar onde tem =) Em outras palavras, vou compartilhar alguns blogs e canais de youtube sobre Japão que eu tenho visto e estão sendo meus únicos contatos japas ultimamente (E Unubore Deka! MEU, assistam e fiquem com o "Parararam, parararam, parararam pampam" na cabeça")

Vamos às dicas! (Isso funciona tão melhor ao vivo =D)




Esse é o Renato Siqueira, editor da Nintendo World, que fez alguns vídeos de quando foi ao Japão para cobrir a TGS, agora em setembro. No canal dele tem vários vídeos das várias viagens dele lá pro nihon, além de games, dublagens, o SANA - que é um evento de anime de Fortaleza - e...




O Aqui Pode é um canal que achei faz uns meses, feito por dois caras brasileiros que moram no Japão: hiro e Totoxinho (po, é o que diz a descrição! huah =P). Nem sempre o tema é Japão, mas a maioria dos vídeos são engraçados por causa do jeito deles falarem (mas tvz seja o meu senso de humor bizarro falando, num sei!). É um canal bom também pra quem gosta de ver coisas cotidianas de lá (será que só eu gosto de vídeos de combinis?).




E por último não é o canal da Mika Nakashima, mas sim o blog que teve as manhas de achar no youtube, com a ajuda de um leitor, um vídeo ativo de um clipe japa (!!!!).
O clipe é o Ichiban Kirei na Watashi wo, que faz parte da trilha do dorama Unubore Deka, no qual ela atua (\o/). Já o blog é o Meu Japão, escrito pela jornalista mineira Karina Almeida. Ela viveu lá no Japão uns bons anos e pelo que entendi voltou pro Brasil faz poucos meses. Mas vício que é vício não some =D

Bom, é isso pessoal. Fiquem com uma fotinho da Mika Nakashima de dona de casa no Unubore Deka:



Ps: Ahhhh... assistam Unubore Deka. Para mais infos, recomendo esse post aqui do pessoal do J-Station.


Fotos: 1 e 2 (sem nomes, pq não entendo sites japoneses =/)
Compartilhe: 
0


Esses dias, andando pela comunidade Bakuman Brasil no Orkut, achei um vídeo do programa Sakiyomi JumBang.

Basicamente, é um programa sobre o universo dos mangás da Shueisha (principalmente aqueles publicados na Shonen Jump, como Naruto, One Piece, Bleach etc.).

É um programa recente. Começou a ser exibido em abril do ano passado. Vira e mexe eles fazem um programa sobre Bakuman. E é aí que tá a graça deste post. Bakuman é um mangá metalinguístico sobre dois garotos que querem ser mangakás e enfrentam os desafios que é ter uma obra publicada pela Shueisha.

O legal do mangá é que ele mostra os bastidores daquela editora e a dinâmica da produção de mangás. Alguns personagens são baseados em pessoas reais da editora. Daí o vídeo fica fazendo comparação entre o que foi desenhado e o que é de verdade.

É... no fim esse post só vai ter graça pra quem lê o mangá! huah -_-"

Mas leiam. Dos mesmos autores de Death Note.


Obs: Mal a ausência das últimas semanas. Minha desculpa é que eu tava viciado em Battlestar Galactica. Recomendo!


Fonte: Bakuman Brasil [Anime/Manga], Wikipedia (com lista de mangás que foram tema do programa)
Compartilhe: 
0
Estava eu a procurar a cena inicial de Inception para postar aqui, mas daí esbarrei com esse comercial em que o Ken Watanabe é um... celular.



Faz parte de uma campanha de celulares da NTT Docomo, "Hitori to, Hitotsu". Arg... como traduzir? Hitori é uma pessoa. Hitotsu é uma coisa. E to é indicativo de companhia.


Além do Ken Watanabe, no vídeo esta o Okada Masaki. A série também teve a Kaela Kimura sendo o keitai da Maki Horikita =).


E até o Darth Vader...


E meu... visitem o site oficial da campanha. Eu muito queria campanhas desse nível assim no Brasil!

Sobre Inception... bom... não achei...

E apesar de não ter muito a ver com o assunto do blog, a única coisa que posso dizer é ASSISTAM! Você vai sonhar com isso. (ãhn-ãhn!)
Compartilhe: 
2
Esse vídeo foi postado no Japan Probe - logo quase todo mundo já deve ter visto. Mas achei tão bobo e tão legal ao mesmo tempo (sim, sentimentos comuns quando se fala sobre o Japão), que resolvi postar aqui também. Para promover o filme "Como treinar seu dragão", o comediante Toshiaki Kasuga, da dupla Audrey (aquele que se aparesentou com o Keinnichi Mikawa no Kouhaku ano passado) colocou uma fantasia do dragão Night Fury e "voou" em frente a um chroma key em Shibuya, Tokyo. O fundo foi substituído por imagens de pontos turísticos do Japão (como Miyajima e o castelo de Himeji). Confira como ficou abaixo:



A propósito, "Como treinar seu dragão" só estreia dia 7 de agosto no Japão e com o nome de ヒックとドラゴン (Hikku to Dragon), ou seja, Soluço e o Dragão - Soluço é o nome do personagem principal. O trailer japonês você confere aqui.

Fonte: Japan Probe
Compartilhe: 
0
Filmes japoneses:

1. One Piece Film: Strong World (Toei) – US$ 55.89
2. Nodame Cantabile Saigo Gakusho I (Toho) – US$ 47.74
3. Nodame Cantabile Saigo Gakusho II (Toho) – US$ 43.08
4. Confessions (Toho) – US$ 41.91
5. Det. Conan: The Lost Ship in the Sky (Toho) – US$ 37.14
6. Doraemon: Nobita’s Great Battle of the Mermaid King (Toho) – US$ 36.79
7. Liar Game: The Final Stage (Toho) – US$ 27.48
8. Ototo: About her Brother (Shochiku) – US$ 23.29
9. Trick the Movie: Psychic Battle Royale (Toho) – US$21.54
10. Kamen Rider x Kamen Rider Double & Decade: Movie War 2010 (Toei) – US$17.46

Filmes estrangeiros:

1. Avatar (FOX) – US$ 180.48
2. Alice no País das Maravilhas (Disney) – US$ 137.39
3. UP – Altas Aventuras (Disney) – US$ 58.22
4. 2012 (SPE) – US$ 44.24
5. Oceans (GAGA) – US$ 28.29
6. Sherlock Holmes (WB) – US$ 25.03
7. Ilha do Medo (Paramount) – US$ 19.33
8. Sex and th City 2 (WB) – US$ 18.63
9. Duelo de Titãs (WB) – US$ 18.28
10. Percy Jackson e o ladrão de raios (FOX) – US$ 16.53

*valores em milhões de dólares

Fonte e fotos: kawaii-joyuu
Compartilhe: 
0
Semana passada foi anunciado o line-up do 67º Festival de Veneza, que acontece entre os dias 1º e 11 de setembro. Tradicional na competição, o Japão participa com 5 produções:

- Cold Fish
O diretor Sion Sono assina uma trama que envolve dois comerciantes de peixes em uma série de loucura e assassinatos.


- 13 Assassins

Um dos mais conhecidos diretores japoneses atuais, Takashi Miike produz um épico remake do clássico Eiichi Kudo (1963). Koji Yakusho protagoniza com o líder de um grupo samurai que quer vingança contra a um líder implacável.



- Norwegian Wood
O diretor francês-vietnamita Tran Anh Hung adapta para o cinema o romance de Haruki Murakami, que conta a história de um triângulo amoroso que acontece em Tokyo nos anos 60. A produção é estrelada por Kenninchi Matsuyama e Rinko Kikuchi com partituras originais de Jonny Greenwood, do Radiohead.


- Shock Labyrinth
Takashi Shimizu cria leva o terror japonês ao cinema 3D. A história da fita gira em torno de um grupo de amigos preso em um parque de diversões assombrado.


- Zebraman & Zebraman 2: Attack on Zebra City –
Takashii Miike aparece no line-up de novo e aumenta para três o número de suas participações no festival deste ano: Zebraman, filme original de 2004, ganha uma sequência futurística. Ambas as produções são estreladas por Sho Aikawa.



Para conferir a programação completa do Festival, é só acessar o site oficial.

Fonte: j-filmpowwow
Compartilhe: 
0












Confesso que não vejo muita graça, mas o tokyohive divulgou uma nota que dizia que a transmissão feita pela NTV da recepção do casamento de Ichikawa Ebizo (ator de kabuki) e Kobayashi Mao (atriz e apresentadora) chegou ao pico de 26% de audiência (com uma média de 18.7%). E olha que não foi nem transmitido ao vivo. Não ao certo que opinião ter disso, mas encontrei no site Women Infoseek, uma lista com a audiência de outros casamentos que foram transmitidos pela TV:

19/11/1980: Tomokazu Miura e Momoe Yamaguchi – 30.3 % (Fuji TV)
24/06/1985: Kanda Masaki e Matsuda Seiko – 34.9% (TV Asahi)
01/10/1986: Mori Shinichi e Mori Masaki – 45.3% (NTV)
12/06/1987: Go Hiromi e Nitani Yurie – 47.6% (Fuji TV)
14/10/1987: Watanabe Toru e Sakakibara Ikue – 40.1% (NTV)
10/12/1995: Furuta Atsuya e Nakai Miho – 26.2% (Fuji TV)
22/11/2002: Komura Tetsuya e Keiko – 15.5% (TBS)
20/12/2003: Yoshitomo Tani e Tani Ryoko – 17.2% (NTV)
30/05/2005: Jinnai Tomonori e Fujiwara Norika – 24.7% (NTV)
30/07/2010: Ichikawa Ebizo e Kobayashi Mao – 18.7% (NTV)

*a porcentagem representa a audiência média na região de Kanto

Audiências melhores que muitos doramas/bangumis por aí. Se você ficou curioso, há cenas da recepção no youtube.

Fonte: tokyohive /Fotos: ent.qq
Compartilhe: 
0
O ator Ikuta Toma interpretará o personagem histórico Hikaru Genji na nova adaptação cinematográfica dirigida por Yasuo Tsuruhashi. A produção tem como título temporário “Genji Monogatari” e um orçamento estimado em 1 bilhão de ienes (cerca de 20 milhões de reais).

Genji Monogatari (源氏物語, "O Conto de Genji") é um livro de autoria atribuída à Murasaki Shikibu escrito no começo do século XI, durante o Período Heian da história do Japão. É largamente considerado como o primeiro romance literário do mundo. A história já foi adaptada para o teatro, opera, TV e cinema.

Toma foi escolhido para o papel pelo produtor executivo Tsuguhiko Kadokawa enquanto filmava o longa Ningen Shikkaku (“No more human”), que estreia em fevereiro. Outros atores que já interpretaram Hikaru Genji foram: Kazuo Hasegawa em 1951 e Raizo Ichikawa em 1961 (no cinema); Kenji Sawada e Noriyuki Higashiyama (na televisão).

Genji Monogatari deve ser lançado em 2011. Veja um vídeo abaixo:


Comentário 1: Ikuta Toma é muito ator. Qualquer coisa que ele faz fica bom. Sério.
Comentário 2: Por que eu não prestei mais atenção nas minhas aulas sobre o período Heian na aula de cultura japonesa?
Comentário 3: Sim, eu lembro da aula sobre Genji Monogatari. Ao menos isso.

Fonte: tokyograph e wikipedia / Foto: mashi-mashi
Compartilhe: 
2
Eu, como caçula, sei na pele como é ser a irmã mais nova. Mas, para quem acha que as irmãs menores não estão com nada, separei cinco exemplos que podem fazer você mudar de ideia.

5 - Eikura Nana

Mesmo sendo só a amiga da Rei (Masami Nagasawa) em Proposal Daisakusen, Nana ganhou bastante destaque ano passado com o filme Yomei Ikkagetsu no Hanayome (no qual ela contracenou com o Eita) e, claro, com o dorama Mei-chan no Shitsuji. Abaixo, uma foto dela com Mizushima Hiro (Shibata Rihito) e Takeru Sato (Mameshiba).


O que poucos sabem (acho, pelo menos) é que Nana também foi a irmã mais nova do Matsumoto Jun no filme Boku wa Imouto ni koi wo suru. E, como o nome diz, ela é a irmã por quem ele se apaixona. A história é baseada no mangá de Kotomi Aoki e, apesar de tratar um tema delicado como o incesto, o filme é muito bonito. E triste.


4 -Ichikawa Yui

Com certeza, Ichikawa Yui é mais lembrada por substituir Aoi Miyazaki no segundo filme de Nana. Mas ela também faz participações especiais em doramas, como nos recentes My Girl e RESCUE e personagens secundários como em H2 e Kurosagi, sendo deste último a foto a seguir.


E no longíquo ano de 2002, Yui também interpretou a irmã mais nova de Matsumoto Jun na primeira temporada de Gokusen. Ela aparece em apenas um capítulo, mas desperta interesse dos amigos de Jun, interpretados por Hiroki Narimiya, Shun Oguri e Ishigaki Yuma.


3 - Narumi Riko

Apesar de ainda não ter 18 anos, Narumi Riko já acumula diversos trabalhos, como a série Sakuya Konohana, que foi transmitida este ano pela NHK e da qual ela é a protagonista. A foto abaixo é do dorama Honey & Clover - o meu favorito entre todos - no qual ela dá vida a Hagu-chan, a protagonista da história.


Quando ela interpretou a irmã mais nova da Aya (Erika Sawajiri) em Ichi Rittoru no Namida, já dava para prever que Riko ia longe - e ela tinha somente 13 anos de idade . Ichi Rittoru é um dorama épico, logo merece duas imagens.



2 - Kaho

Otomen deve ser o dorama mais referencial que eu vi e, por isso, um dos mais engraçados. Impossível não se divertir quando colocam Crows Zero, Hanadan e até Hotaru no Haka no meio da história. Ok, confesso que tudo isso até desvia um pouco a atenção dos protagonistas, interpretados por Masaki Okada e Kaho.


Mas, quem achava que a Kaho era novinha e estava no início de carreira, se engana. Demorei para reparar que ela também é a irmã mais nova do personagem do Yamada Takayuki no dorama Sekai no Chuushin de, Ai wo Sakebu. Mas deve ser porque todo mundo que assiste passa o dorama inteiro chorando e não presta atenção nos personagens secundários. Para refrescar a memória, duas fotos.



1 - Horikita Maki

Se tem uma jovem atriz que é bem-sucedida, com certeza, é a Horikita Maki! Com 22 anos, ela já protagonizou doramas de sucesso como Nobuta wo Produce, Atashinchi no Danshi e Innocent Love. E já fez par com quase todos os galãs da TV japonesa. Para ilustrar, fica uma imagem de Hanazakari no Kimitachi e, uma das séries que ajudou a projetar a carreira de Maki e na qual ela contracena com Ikuta Toma.


E como não podia deixar de ser, Maki já foi uma caçula. Em 2005, ela era a irmã do... Densha Otoko! Essa foi, com certeza, a maior surpresa para mim. Muita gente não deve ter reparado, já que Densha foi um dos primeiros doramas a sair legendado por aí e ninguém conhecia muito os atores. Ficam duas imagens para convencer os incrédulos (meu arquivo é antigo, ou seja, me desculpem pela qualidade da imagem).


Compartilhe: 
1
Retomando o post anterior, aproveito e posto algumas fotos da Kiddy Land, loja de brinquedos localizada em Harajuku, Tokyo. São seis andares que vendem tudo o que você possa imaginar e que seu dinheiro pode (ou não) comprar. As fotos foram tiradas entre 12/06 e 03/07.









Créditos: Moshi Moshi (se copiar daqui, por favor, deixe um comentário)
Compartilhe: 
6

























Durante uma entrevista coletiva realizada em Tokyo esta semana, Angelina Jolie disse que levou seus quatro filhos para comprar itens dos filmes Totoro e Ponyo na loja Kiddy Land de Tokyo e recebeu um buquê de flores e um abraço de Meisa Kuroki. A atriz está no Japão para promover seu novo filme, Salt, que estreia em 31 de julho nos cinemas japoneses e no dia 19 de agosto no Brasil.


Para quem quiser saber mais sobre o filme, tem o trailer japonês aqui e o brasileiro aqui.

Fonte: tokyohive / Fotos: Sankyu Sports
Compartilhe: 
2

Review: Summer Wars


às 02:00


As férias de verão estavam condenadas a serem um tédio em forma de horas e horas de programação para um freela. Mas daí aparece a garota mais bonita da escola e te oferece um emprego temporário na casa dos parentes dela, lá no interior. O trabalho? Ser seu namorado.

E assim começa Summer Wars, aclamada obra do estúdio Madhouse, dirigida por Mamoru Hosoda, responsável por Toki wo Kakeru Kanoujo e um dos top da nova geração de animadores japoneses.

O longa foi lançado em 2009 com um certo estardalhaço na internet. As pessoas tem caçado um novo Chihiro há tempos e ele era um bom candidato.

O que o engrandece é a sensibilidade com que seus personagens são construídos e a crescente épica com que a história é narrada. Detalhe para o trabalho de direção: belos planos (como o da partida de Hanafuda e a panorâmica da família contra o sol) e transições com estilo (o dormir e despertar de Kenji e o modo como o jogo de baseball funciona na narrativa).

Mas aí vc pergunta. Família? Oz? What? Bom: Natsuki, a tal menina, pertence a uma enorme e influente família, quase um clã. Eles estão se reunindo para comemorar os 90 anos da matriarca. Kenji, o protagonista, ficou em segundo lugar nas olimpíadas nacionais de matemática. E Oz, o ambiente web, é o que conecta tudo hoje em dia. Até o presidente tem um avatar, com poderes para disparar mísseis com apenas um clique. E há alguém bagunçando tudo isso...

Bom, não consigo avançar muito mais sem dar spoilers. Aconselho, então as seguintes etapas.

Baixe o anime pelo MDAN ou pelo OtakuFans. Legendas em português. Versões em HD, com mais de 1,2 GB. O Anime Heavens deu uma baixada para pouco mais de 400mb. Eu assisti a versão do MDAN. O problema é que o arquivo deles tem umas partes corrompidas. Nada grave, só uns quadrados pixelados que aparecem em alguns poucos momentos de movimento.

Depois, ouçam o Jcast Review #30, com uma análise bem mais engraçada e completa que esta aqui =D. (Ouçam, eles. Cast muito bom).

E, depois, voltem aqui para ler alguns comentários com spoilers.


    O filme é genial até sua metade. Explico. Quando Kenji chega na casa da vó de Natsuki, a forma como os cômodos e os parentes são apresentados são não só poéticos, como eficientes para estabelecer toda a dinâmica daquela família, que será importante mais para frente, quando duas coisas acontecem: A chegada de Wabisuke (não a zampakutou XP) e a morte de Sakae.

    Por exemplo, logo no começo ficamos sabendo que o marido da Sakae fugiu para os EUA com uma amante e torrou toda a fortuna que a família fizera uma geração atrás com o comércio de seda. Mais para frente, quando Wabisuke, o fruto dessa traição, aparece, fica claro como praticamente todos da família meio que o rejeitam (parte por ele ser bastardo, mas muito mais pelo fato dele ter sumido dez anos de seu convívio). Mas ao mesmo tempo, vemos o olhar acolhedor de Sakae, perguntando se ele quer comer (e mais tarde, como esse convite rima com a carta deixada por ela à família).

    Mas nessa mesma mulher em que reside carinho, reside força. A cena dela fazendo inúmeros telefonemas para amenizar o caos causado por Oz é genial. Mostra ela combatendo o problema tecnológico com um punhado de cartas e telefones anotados em um caderninho de papel.

    E por último, a foto dela mais jovem, que transmite sem movimento ou narração alguma a força que ela um dia já teve e ainda tem, apesar do corpo cansado.

    Força essa que ela demonstra ao atacar Wabisuke com a lança, quando descobre que o responsável pelos problemas em Oz foi ele e, em parte, ela própria. Afinal, era para devolver o dinheiro roubado pelo seu pai que Wabisuke desenvolveu a inteligência artificial.




    E só agora chegamos em Oz. E essa é o ponto fraco do filme, na minha opinião. Não que a criação do mundo seja precária. Pelo contrário, acho super divertido como o ambiente e os avatares foram concebidos.

    Mas após a morte de Sakae, o foco do filme desvia um pouco da família e vai para o mundo de Oz e a batalha contra a inteligência artificial.

    O filme ainda continua funcionando quando está na família.

    Parte dela se preocupando com o velório da Sakae e a outra em combater o mal que foi parcialmente responsável por sua morte (tudo bem, meio sexista, mas...). A mobilização para montar um computador eficaz para a grande batalha é engraçada demais. Até o conceito do King Kazma é interessante.

    O problema é que aí o filme começa a cair em muitos clichês. A primeira armadilha que não dá certo (apesar de que terem transferido o gelo pro quarto com o corpo da Sakae foi hilário). A derrota de King Kazma. O desafio de Hanafuda (o vilão que, apesar de ter a vitória garantida, joga tudo pro ar em nome de uma aposta). A especialização da família em Hanafuda. A ajuda de toda a comunidade não absorvida. O arrependimento do Wabisuke e seu retorno para ajudar no combate. E os momentos de genialidade do Kenji para desviar o satélite em queda.

    OK. Talvez seja minha geekness apitando. O fato de uma batalha virtual, com altos níveis de programação envolvida, ter virado uma simples partida de cartas (cujas regras são obscuras) tenha me incomodado um pouco. E o fato de que no fim, a batalha que necessitava de teras e mais teras de processamento ter sido praticamente decidida
    por um grupo de pessoas com celulares e Nintendos DS.

    Mas, nisso tudo, se salva a cena absurda deles comendo faltando apenas uma hora para o satélite acertar uma base nuclear! \o/ (daí aquela dinâmica familiar ter sido importante no começo do filme).

    Então, já me repetindo, o filme funciona quando está falando sobre a família e falha um tanto quando está falando sobre batathas/tecnologia. Apesar que falar Koi Koi nunca foi tão empolgante. Próxima vez que jogar Mao Mao vai ser bem mais legal =D.

    Apesar de tudo isso, o filme é uma obra prima. Empolgante, emocionante e épico à seu modo. Não sei, mas acho que ele funcionaria muito bem como uma série. A família e Oz dão muita história.


Summer Wars


Animação: 10,0
Roteiro: 9,0
Trilha Sonora: 9,0
Direção: 10,0

Imagens: Flying TeaPot; Animematic
Compartilhe: 
0
Vendo esse trailer de Beck, postado pelo site ANMTV, fiquei empolgado com o live action de Beck. Tá MUITO fiel. Meu, vão desde a conversão do Koyuki para o mundo do rock até o Greatful Sound. Quem viu o anime vai reconhecer várias cenas (detalhe para o Ryusuke tocando com o dono da Lucille).

Minha única ressalva fica por conta das músicas originais, que ainda não ouvi. Tudo bem o trailer escondê-las atrás de Oasis e Red Hot Chili Peppers. As originais tem que ter sua função dramática durante o desenrolar da história. Mas fica o receio, já que virei fã das músicas do anime e, para o filme não decepcionar, a trilha tem que estar no mínimo genial.

Bom, não consegui achar um vídeo decente que compilasse as mesmas cenas do trailer, mas vejam os dois vídeos abaixo e vejam se dá para comparar um pouco.



Compartilhe: 
1


A sexta temporada do programa Urbano, do Multishow, está em Tokyo. Sim, é um daqueles programas básicos mostrando um estrangeiro vendo/fazendo coisas na cidade. Mas pelos capítulos que vi, eles tem fugido do clichê e mostrado uns detalhes muito reais de lá. No Youtube:


O restante aqui.

Não tenho TV a cabo e o site oficial não confirma, mas pelo que entendi o programa passa toda quarta-feira, às 22h, com várias reprises durante a programação.

Fontes: @segredovitorio, Harajuku Lovers, Urbano
Compartilhe: 
1

Baseado na série de livros The Borrowers, Karigurashi no Arietty é o trabalho mais recente do estúdio Ghibli e está em cartaz nos cinemas japoneses.

Porém dessa vez não é Hayao Miyazaki quem dirige a obra, mas sim pelo animador Hiromasa Yonebayashi. Miyazaki ficou encarregado da adaptação do roteiro e da supervisão dos trabalhos.

Segundo um dos colaboradores do Arama, de onde tirei essa notícia, as pessoas estão comentando que a direção de arte e a trilha sonora são fantásticas, mas a história em si nem tanto.

O enredo trata de uma família que vive embaixo do assoalho de uma casa, roubando pequenas quantias de comida para sobreviver. Mas é tão pouca comida, que os donos nem percebem. Também pudera, já que os habitantes do assoalho não passam de 10 cm de altura.

Arriety, a filha única dessa família, é destemida como o pai, o que acaba levando-a a ser descoberta por Sho, um garoto de 12 anos sensitivo com quem desenvolve uma boa amizade.

No entanto, essa descoberta pode ter consequências para a família de Arriety e talvez eles sejam obrigados a se mudar para algum lugar distante e desconhecido, frente à ameaça dos humanos. Bom, talvez esse tenha sido o destino de outros de sua espécie, já que há poucos deles por perto hoje em dia.

Fonte: Arama
Compartilhe: 
1
Sim, o Moshi Moshi é o blog mais lerdo que vocês conhecem. Venham sempre para conferir as notícias mais quentes do mês passado =)

O Nintendo 3Ds, novo portátil da Big N, foi um dos produtos que mais fez barulho da E3, a maior feira de games do mundo. Tudo porque eles conseguiram inovar de novo em conceito de jogabilidade (depois do Wiimote). O problema é que o efeito não é reproduzível em vídeo, então ninguém, a não ser quem já tenha experimentado em mãos, sabe como funciona. Achei um vídeo que teoriza sobre como deve ser o efeito.


Fora isso, o pessoal proibiu filmagens do aparelho na E3, daí fica difícil saber. (OU NÃO, bohahaha)


O efeito só acontece na parte superior do portátil, já que parece que é difícil fazer uma tela 3D e Touch ao mesmo tempo.

Por outro lado, não será necessário usar óculos para vê-los. Todo mundo que apostou nas tvs 3D com óculos se ferrou nessa. E o negócio ainda tem um regulador de intensidade do efeito 3D. Só não sei se o efeito é de profundidade ou de relevo.

Fora isso, imaginem as possibilidades de jogo O.O! E tem gráficos até superiores que o PS2. E tem sensor de movimento. E ainda vem com uma câmera 3D. E wireless (caraca... também tô babando aqui, dammit =P)

Olha o Satoru Iwata, presidente da empresa, mostrando o aparelho na E3. Partes 2 e 3 nos links.



Parte 2
Parte 3

Meu, imaginem você com uma janela para um mundo paralelo (Fringe e Alice feelings, alguém?).

Lançamento? Até março de 2011. Preço? Indefinido.
Compartilhe: 
0

Sim, é época de Anime Friends e Festival do Japão. Mas se tu tiver um tempo entre uma coisa e outra, ficam duas dicas de cinema:

A primeira é algo que já entrou em cartaz há um bom tempo: Toy Story 3. Sim, mas porque isso está neste blog de cultura japonesa, você se pergunta. Primeiro, porque é uma animação GENIAL. Incrível como eles conseguem tornar o mundo miniatura dos brinquedos algo tão épico. Segundo por causa deste vídeo:


O Totoro tá na casa de uma menininha muito simpática. Mas vou contar muito do filme não.

No Japão, a estreia é só no dia 10 de julho. Mas olha o trailer japonês aqui.


E essa é pra quem já viu o filme. Acharam um comercial antigo do Lots-o!!!! Reparem nos bixinhos se curvando pra ele!!! Muito ME-DO aqui.



    Lógico que é um viral da Pixar, mas é engraçado ^_^


A segunda dica é Gake no Ue no Ponyo, obra de Hayao Miyazaki que veio parar por aqui dois anos após seu lançamento no Japão.

A questão é que está um tanto difícil encontrar sessões do anime em circuito comercial. A Playarte, distribuidora do anime no Brasil, anunciara que o lançamento seria dia 2 de julho. Depois, adiou para dia 16 (com o pessoal na internet especulando que era para escapar de Toy Story 3 e Eclipse).

Acontece que em SP o filme já em cartaz em vários lugares, conforme você vê aqui.

O detalhe é que a maioria das cópias está dublada. Segundo a Nádia, isso é uma exigência do próprio estúdio Ghibli, já que é uma obra com mensagens voltadas para as crianças.

Agora, a grande sacanagem da distribuidora é lançar as poucas cópias legendadas com o áudio em inglês, já que a dublagem americana contou com algumas celebridades.

Assim, ninguém vai poder assistir a história do peixe que foge do mar e vira menina com as vozes originais. E pior, parece que a música tema será a versão que a Disney fez, já que ela é a distribuidora mundial do Ponyo. E os brasileiros que não conheceram a obra pela internet vão perder o tema móóóóó legal cantado pela Nozomi Ohashi e a dupla Fujioka Fujimaki.

Assistam ao trailer e ao clipe kawaii da música e fiquem com ela na cabeça por vááááários dias (de novo! bohawahaha Ò.Ó)




Obs: Sim, esse post não é nada original! Acabei achando os mesmos temas abordados bem antes da gente no Harajuku News e no J-Wave.
Compartilhe: 
5

No post sobre a Animeexpo eu falei sobre o Danny Choo, que tirou algumas fotos do evento. Na verdade, ele é um londrino que trabalhava na Microsoft do Japão e ficou famoso depois que um vídeo seu dançando pelas ruas de Tokyo vestido de stormtrooper se espalhou pela internet, lá por 2007. Se você tinha internet nessa época, provavelmente você já esbarrou com algum vídeo dele.

Bom, acontece que no mesmo ano ele decidiu sair da Microsoft, abriu sua própria consultoria de gestão de mídia, e foi viver disso e de seu site/blog.

Hoje ele é uma espécie de "autoridade" pop sobre Japão fora do arquipélago. E agora ele conseguiu montar um programa que aborda alguns aspectos da cultura japonesa. É o Culture:Japan, produzido em parceria com a Tokyo MX TV.

O primeiro capítulo foi ao ar no dia 12 junho e teve entrevista com a seiyuu Satomi Sato (Ritsu, de K-ON), uma visita a uma escola japonesa para ver como é o dia a dia do negócio (na real, real), e uma conversa com a cosplayer Alodia (que pelo que pude pesquisar, é uma filipina bem famosinha no meio). O teaser, com 10 minutos (de 60), pode ser visto aqui embaixo (com legendas em inglês).


Como eu gostei do programa (principalmente a parte do colégio), e 10 minutos é muito pouco, fucei um monte para ver se achava para a versão integral para download. Mas a missão foi fail. Achei esse vídeo aqui, que é uma espécie de easter egg, acho.


Agora, deixa eu explicar o rolo. O programa Culture: Japan foi exibido pela Tokyo Mx TV, NO JAPÃO. Vai entender. Talvez por isso tenha sido exibido em uma versão reduzida, de 30 minutos. A ideia é que a íntegra, com 60 min, seja exibida pela Animax Asia (Hong Kong, Taiwan, Filipinas, Malásia, Tailândia...). Inclusive pela web \o/. É, eu fiquei empolgado também, mas daí vieram os problemas: o site deles é um lixo, e trava MUITO. E o vídeo não consegui achar em nenhum lugar. =/

Se alguém conseguir achar, por favor, me avise =).

Agora, uma alma caridosa postou no youtube a versão de 30 minutos, filmada direto da TV! Sem legenda Huah. Mas já é alguma coisa, né?

Part 1: http://www.youtube.com/watch?v=MXN9X24gb0s
Part 2: http://www.youtube.com/watch?v=XuD8dHcNJL4
Part 3: http://www.youtube.com/watch?v=qDVSFSTcBcQ

Agora, por último, alguns links para várias fotos do making of do programa, com comentários do próprio Danny Choo (tudo em inglês).

http://www.dannychoo.com/post/en/25651/Culture+Japan.html
http://www.dannychoo.com/post/en/25655/Making+of+Culture+Japan.html
Compartilhe: 
0

Esta semana, em uma coletiva de imprensa, a NHK apresentou parte do elenco do dorama Gou ~Himetachi no Sengoku~, seu título taiga para 2011. A série traz Juri Ueno no papel-título “Gou” (também conhecida como “Oeyo”), Rie Miyazawa e Asami Mizukawa como suas irmãs Yodo e Hatsu e Honami Suzuki como a mãe das três, Oichi-no-kata. Himatachi no Sengoku, do subtítulo, quer dizer “As princesas da guerra”.

O elenco masculino será liderado por Saburo Tokito que dará vida a Azai Nagamasa, pai das três garotas, e Etsushi Toyokawa, no papel de Oda Nobunaga. Outros personagens históricos: Goro Kishitani (como Toyotomi Hideyoshi) e Kinya Kitaoji (como Tokugawa Ieyasu).
Osamu Mukai será Tokugawa Hidetada, o segundo shogun Tokugawa e marido de Gou. Koji Seto, Shota Sometani, Masato Hagiwara, Yukiya Kitamura, Yoshihiko Hakamada, Toshio Shiba, Takumi Saito, Koji Ishizaka, Yasuo Daichi e Masachika Ichimura também estão no elenco.

Gou será exibido a partir de janeiro de 2011 e terá 50 capítulos exibidos ao longo do ano inteiro.


Se alguém quiser se aventurar no japonês (o meu ainda não dá para isso, não...), a NHK mantém um blog com atualizações sobre a novela e também já disponibilizou um press kit em pdf. (Mas tá tudo em japonês difícil, só para avisar de novo!)

Fonte: tokyograph / Fotos: oricon
Compartilhe: 
0

Animeexpo: cadê isso no Brasil?


às 01:52


Está rolando nos states um dos maiores eventos de anime / mangá do mundo fora do Japão: o Animeexpo começou dia 1º de julho lá em Los Angeles e termina hoje, dia 4.

Eu nunca fui =/. Mas pelo que captei nos vídeos espalhados pelo Youtube, o Animeexpo pode ser descrito assim: Imaginem o AnimeFriends com tudo que ele tem sendo realizado em um espaço de eventos decente, como um Expo Center Norte ou o Centro de Exposições Imigrantes (SP). Façam ele ocorrer 24h por dia. Coloquem cosplayers com mais grana. Coloquem stands com MUITA coisa realmente bacana e bem produzida. Coloquem um concurso de idols. E pensem em apresentações de artistas top do jpop (ou nem tanto).

Só para você ter uma ideia, cliquem e olhem abaixo a lista de convidados japoneses (Os nomes em vermelho levam ou pra vídeo deles no evento, ou pra alguma info):

    Saki Aibu: Atriz. Ela já fez váários doramas. Water Boys (como Atsumi Hayakawa, que pretendia ser uma atleta de nado sincronizado e acaba ensinando o Shindo e a turma. Momento fanboy ON). Zettai Kareshi. Tenchijin. MR. BRAIN. Buzzer Beat.

    Masahiro Usui: Ator. Participa de Engine Sentai Go-onger.

    AKB48: O grupo que mais atende os sonhos dos otakus com nariz sangrando. No link, algumas delas tentando falar inglês com o público. E aqui elas sendo recepcionadas pelo público no carpete vermelho. O mais legal é que as pessoas conseguem reconhecer quase todas elas huah.

    BENI: OK. Talvez ela não seja tão top, mas ela é uma das cantoras em ascensão hoje em dia no Japão. A ligação que achei dela com o mundo anime / manga: Tema final de Eyeshield 21.

    SOPHIA: Banda de rock formada em 1994. Creio que sua ligação com os animes se dá por terem tocado o segundo encerramento de Kaleido Star.

    MELL: Cantora de vários temas de anime (Black Lagoon, Hayate the Combat Butler).

    May'n: Cantora. Ela ainda está batalhando para virar mainstream, por isso seu nick (May Nakabayashi / May'n.stream). Ela dubla as canções da personagem Sheryl Nome, de Macross Frontier.

    RSP: Banda japonesa de R&B e Hip Hop. Duas cantoras e quatro dançarinos. Eles também cantam um dos encerramentos de Bleach mais legais de todas, Kansha. Aqui um live delas.

    ***

    Manga / Anime producers:

    Rei Hiroe: autora, sendo seu trabalho mais recente o Black Lagoon (que é bem interessante).

    Toshihiro Kawamoto: Co-fundador do estúdio Bones, que já animou Cowboy Bebop: Knockin' on Heaven's Door, Wolf's Rain e tudo Fullmetal Alchemist.

    Shinichi Watanabe: diretor de animes como Lupin III: Da Capo of Love: Fujiko's Unlucky Days, Tenchi Muyo! GX e Excel Saga (no qual até aparece). Ele cantando seu tema aqui.

    Kenji Kamiyama: diretor de Blood: The Last Vampire e Ghost in the Shell, entre outros.

    Satoru Nakamura: diretor de animação, já participou de projetos como Monster e Pokemon.

    Tomohiko Ishii: assistente de produção dos longas O castelo Animado e A Viagem de Chihiro.

    ***

    Seiyuus:

    Yuu Asakawa (Jibaku-kun, Love Hina, Fate/Stay Night, Azumanga Daioh). Katsuyuki Konishi (Yakitate!! Japan, Bleach, One Piece). Megumi Nakajima (Ela é daquelas seiyuus com uma vasta carreira musical. Meu, visitem a página dela na wikipedia. Pelo nível de edição e conteúdo, ela deve ter muitos fãs ou uma agência bem dedicada. Fez dublagem, entre outros em Fairy Tail e Macross Frontier). Yui Horie (Idem. Participou de D.Gray-man, Love Hina entre dezenas de outros). Eri Kitamura (Last Exile, Blood+). Masakazu Morita (BECK, Bleach, Saint Seiya: Hades Chapter). Minami Kuribayashi (Ela canta Tsubasa wa Pleasure Line, o opening de Chrono Crusade. Preciso dizer mais nada né? Momento fanboy 2.)

    E provavelmente estou deixando algum escapar.

UPDATE: Review no Arama do painel da BENI (#Fail)

UPDATE2: É só falar mal que vc sempre quebra a cara! Huah. A Minami Kuribayashi vem pro Brasil!!!! . OK. Não é um AKB48. Mas ia ser legal ó! huah. Agora fiquei tentado de ir só pra ver Tsubasa wa Pleasure Line ao vivo. Só falta ser tipo o Koji Wada... Brave Heart baladinha não foi legal =/

Agora, assistam a alguns vídeos do evento:

http://www.youtube.com/watch?v=Mbzd4Y9g__w (bem editado e com legendas de local \o/) Dia 1
http://www.youtube.com/watch?v=AmhlQknGv90 (bem editado e com legendas de local \o/) Dia 2
http://www.youtube.com/watch?v=ZgzyvlLTMYE (com comentários)
http://www.youtube.com/watch?v=KFGcG2EW91c (com comentários)
http://www.youtube.com/watch?v=HLFq3iQ1dl0 (bem editado)
http://www.youtube.com/watch?v=NPxpiWESBSE (banda Makenai)
http://www.youtube.com/watch?v=hujav9Lsx7E (andada pelo pavilhão de exposição)
http://www.youtube.com/watch?v=5_tsinFj9iQ (ninja game, alguém me explica?)
http://www.youtube.com/watch?v=bVSIowKyynY (dança random)
http://www.youtube.com/watch?v=LtA7YkfoXN8 (manga, essa coisa do demo)
http://www.youtube.com/watch?v=6rWpiklKXV4 (PedoBear >.<)
http://www.youtube.com/watch?v=CyW8RbbkNAw ("Transformer")
http://www.youtube.com/watch?v=jBQC6DVORyY ("Sponsors AMV")
http://www.youtube.com/watch?v=UyoiaE4LMG0 (Balada Otaku)
http://www.youtube.com/watch?v=18g24Ae1iYk (Portal's "Still Alive" coral)


O Danny Choo, que também é convidado do evento, tirou umas ótimas fotos, como estas aqui embaixo. Meu, sempre visitem o site dele. Vale muito a pena. Vejam outras fotos aqui, aqui e aqui.




Se vocês quiserem ler alguns pensamentos sobre o porque de eventos desse naipe não acontecerem aqui no Brasil, cliquem aqui.

    Agora vem a questão: porque não conseguimos um evento desse porte aqui no Brasil? A discussão pode ser imensa, mas tudo esbarra num simples fator: grana.

    Primeiro. O ingresso para quatro dias do evento varia de 50 a 75 dólares, dependendo da época em que você compra. Não convertam a moeda. Pensem que assim como eles pagam, eles ganham em dólar. Fora esses 75, cada evento principal (concertos e concurso cosplay) custa de 15 a 20 dólares.

    Para quem vai um dia só a entrada fica entre 35 e 45 dólares e o ingresso para os eventos entre 30 e 35 dólares.

    O evento em si tem uma loja com roupas personalizadas. Fora os stands e patrocinadores.

    Em 2009, cerca de 44 mil pessoas passaram por lá. Façam os cálculos.

    Mas não sei o quanto disso entra lucro. Tudo bem, tem os custos do evento em si, organização, profissionais técnicos e tudo mais. Os staffs são voluntários, em sua maioria, assim como no Brasil.

    Mas acho que o que sai caro é mesmo o trabalho que é tirar esses artistas do Japão e fazê-los viajar até seu país. Porque não é só o artista. Tem toda a sua equipe técnica e quiçá dançarinos. Dar passagem, hospedagem e comida para toda essa gente sai muito caro. Tem o transporte do equipamento também. Além da contratação de técnicos competentes para dar suporte à equipe do artista.

    Um dia alguém me disse que entrou em contato com os produtores de uma banda de rock top japonesa. Eles disseram que até topavam vir para cá sem cobrar cachê, já que eles curtiam o país e tal e entendiam que aqui a grana é mais curta. Mas faziam questão de toda a equipe técnica e instrumentos virem junto. O custo total dessa jornada? Algo em torno de 300 mil reais.

    Agora, no Brasil os ingressos giram em torno de 15 a 60 reais. E eu não acredito nas estatísticas de que o evento reúne 120 mil pessoas. Se fossem vendidos 120 mil ingressos a 15 reais cada, a Yamato teria 1,8 milhão de renda bruta.

    Fora isso, tem a questão do interesse das gravadoras em enviar artistas para o Brasil. Ao contrário dos EUA, eles não enxergam aqui um mercado em potencial, financeiramente falando.

    Enfim. O texto ficou gigante. E as críticas já estão maiores do que a parte legal da notícia, que é o evento em si. Parece ser bem legal, as pessoas parecem se divertir, e muita coisa bizarra e fucking awesome acontece.

    Só fica aqui minha torcida para que os eventos aqui no Brasil deixem de ser apenas locais para se encontrar amigos que moram longe, e sim tornem-se atrativos por si só. Que façam os otakus das antigas voltarem. E que virem algo tão legal que eu possa falar para meus amigos que não gostam de anime/mangá: vamos lá?

Compartilhe: 
1

ARQUIVO DE IMAGENS
Zionn / De.Pinque designed by ZENVERSE | Converted by Blogger Template Place | Collaboration One-4-All